Nossos Produtos

Nossos Produtos

 

O QUE SÃO OS NOSSOS PRODUTOS?

Normalmente as palavras “natural” ou “biológico” são sinónimo de verdadeiro ou puro. No entanto, um produto natural pode conter até 50 % de ingredientes naturais, enquanto que a palavra biológico apenas pode figurar na embalagem se este preencher alguns requisitos. Para exibir a denominação biológico o produto deve conter 95% de ingredientes naturais - obtidos da produção biológica, ou seja, plantas ou flores cultivadas de forma sustentável e sem o uso de químicos -, sendo que os restantes 5% podem ser compostos por água e outras matérias-primas naturais. Desta forma, são reconhecidas algumas plantas com propriedades regeneradoras da pele, tais como a camomila, a jojoba, a lavanda ou o aloé vera.

Um cosmético é considerado biológico quando as suas matérias primas são maioritariamente provenientes da agricultura biológica. Esta é um modo de produção que exclui o uso de pesticidas, herbicidas e fertilizantes químicos, respeitando os ciclos de vida naturais, ou seja, um sistema ambientalmente sustentável. Por norma, um cosmético biológico utiliza óleos vegetais 100% puros e extraídos a frio, óleos essenciais e todos os ingredientes complementares necessários para manter a estabilidade de um produto, como por exemplo, emulsionantes, surfactantes e conservantes, que têm de ser 100% de origem vegetal. É ainda livre de qualquer aditivo sintético, geneticamente alterado ou artificial, como é o caso dos (quaisquer aditivos sintéticos, geneticamente alterados ou artificiais como) corantes, parabenos, silicones, fragâncias sintéticas, potenciadores de espuma - como o Lauril Sulfato de Sódio (SLS) e o Laureth Sulfato de Sodio (SLEs) - e derivados do petróleo.

Em resumo: os cosméticos biológicos têm como principais características (tira vírgula) conter apenas água, vitaminas, óleos essenciais e extratos de plantas. São colocados (feitos) em embalagens sustentáveis e recicláveis, são cruelty free, ou seja, não são testados em animais, e são produzidos com base no comércio justo.

Já para ser natural, um cosmético deve conter no mínimo 5% de ingredientes orgânicos e 95% de ingredientes naturais e não deve conter nenhum tipo de aditivo químico na sua composição, como derivados de petróleo, propileno, amônia, silicone, parabenos, fragrâncias ou corantes artificiais, entre outros.

Se os produtos “naturais” se aproximam dos “biológicos”, o mesmo não se pode dizer dos produtos “vegan”, cujo conceito difere um pouco dos anteriores.

Veganismo é uma forma de viver "que procura excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e de crueldade contra animais, seja para a alimentação, para o vestuário ou para qualquer outra finalidade" (informação retirada do site: https://www.vegansociety.com/go-vegan/definition-veganism 11/04/2018 - 21h00). O veganismo recusa a ingestão de produtos como carnes, leite, ovos e mel e o uso de qualquer produto que seja desenvolvido a partir da exploração de animais, como roupas, artigos de couro, pele, lã, seda e quaisquer produtos (que tenham sido) testados em animais ou cujos ingredientes tenham origem animal.

Adaptando-nos a esta necessidade, para que sejam considerados vegan, os cosméticos não podem conter ingredientes de origem animal, como mel, leite, cera de abelha, albumina, lanolina, carmim, gelatina ou colagénio - muitas vezes encontrados em cosméticos naturais. Também não podem ter sido testados em animais. Mais concretamente, e em tom de exemplo, os vegans não consomem sabonetes feitos de glicerina animal ou maquilhagem produzida a partir de cera de abelha.